Buscar
  • Lidiane Magalhães

Contaminação cruzada


Pessoas com alergia, intolerância ou doença celíaca devem estar atentos a possível contaminação cruzada dos alimentos. Contaminação cruzada é aquela que resulta da transferência de traços ou partículas do alimento alergênico para outro alimento livre de alergênico. A contaminação pode ocorrer através de equipamentos e utensílios, usados durante a manipulação dos alimentos, e através dos manipuladores mãos e vestuário, por exemplo. Pode ocorrer ainda no plantio, na colheita, no armazenamento, na industrialização e até no transporte. Como é o caso da aveia que naturalmente não contêm glúten, mas dependendo da forma de plantio, cultivo, processamento e transporte, pode ter contato com outro grão fonte de glúten e sofrer contaminação cruzada. É mais comum do que pode parecer. Quem tem o hábito de ler os rótulos dos alimentos já percebeu que a contaminação cruzada é bastante presente nos alimentos industrializados. Na indústria, usar a mesma máquina sem a perfeita higienização antes de manipular alimentos sem o componente alergênico é rotineiro. Isso faz com que muitos alimentos passem a conter traços de outros alimentos que foram processados no mesmo maquinário.

Por isso devemos estar sempre atentos. Boa parte dos produtos que não contêm glúten são contaminados no processo de fabricação, embalagem e até no servir. As refeições, feitas em casa e/ou fora de casa, merecem atenção redobrada. O ambiente em que são preparados não deve ser o mesmo para preparo de alimentos sem glúten, por exemplo. Isso porque a farinha de trigo pode ficar no ar por até 24 horas. Então atenção ao comprar bolo, pão, biscoitos sem glúten feitos em padarias que manipulam farinha de trigo ou outra farinha com glúten. Podem não ter glúten em sua composição, mas tem glúten por contaminação.

O mesmo acontece em lojas de produtos a granel. Como são muitos os produtos a serem manipulados ocorre grande chance de contaminação. Os recipientes são diversos e o utensílio usado para pegar os produtos livres de alergênicos podem facilmente serem também usados em produtos alergênicos. Muito mais seguro é comprar os produtos em embalagens lacradas fabricadas por empresas as quais já pesquisou e/ou realizou contato com o SAC e tem a certeza de não haver contaminação cruzada.

Pelo visto as possibilidades de contaminação são enormes e não para por aí. Você sabia que a farinha de trigo, por exemplo, fica impregnada nos motores das batedeiras, liquidificadores, multiprocessadores e mixers. Você também sabia que a torradeira, sanduicheira são também fontes de contaminação quando não higienizadas perfeitamente antes do uso. Os utensílios, como colheres, espátulas, facas, placas de corte, etc. feitos de materiais porosos, como silicone e madeira são também fontes de contaminação.

O ideal é ter equipamentos (torradeira, batedeira, sanduicheira, liquidificador, processador, mixer, forno...) e utensílios (facas, espátulas, colheres, placas de corte, pinceis...) exclusivos para uso de alimentos sem glúten. Importante separar produtos de uso comum, como por exemplo geleia, mel, patê, para que não ocorra a contaminação através da espátula ou faca.


Fonte: Fenacelbra


8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Musli